Área Restrita

Entrevistas

Novo perfil empreendedor desperta interesse das organizações

Atualizado em 28/04/2016 02:00

via FNQ
Muito se fala sobre a atuação dos jovens à frente de empreendimentos inovadores que revolucionam o mercado tradicional. Para falar sobre o potencial desses novos empreendedores, entrevistamos o presidente da Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje), Fernando Milagre. Confira:
Como as empresas devem se preparar para desenvolver talentos?
As empresas precisam entender que os jovens, na sua maioria, são empreendedores. Por isso, elas têm de adaptar o seu modelo de gestão para que possam oferecer algum tipo de atrativo, não necessariamente financeiro, para que eles continuem estimulados no ambiente de trabalho.
Nesse processo, é fundamental oferecer uma segurança técnica e um suporte para o desenvolvimento e o crescimento do jovem profissional. Mais além, é preciso ter em mente que, cada vez mais, os jovens possuem menos o perfil de empregados e mais o de prestadores de serviço, independentes de uma empresa.
Quais os principais desafios para o jovem empreendedor?
Os jovens empreendedores também têm interesse em atuar em áreas diferentes das que já estão inseridos, ou seja, isso demonstra que eles estão bastante atentos a oportunidades de mercado.
Para empreender, esses profissionais precisam de uma segurança que, muitas vezes, não têm. Não que as pessoas não queiram, mas, às vezes, elas não se sentem seguras para investir em um novo negócio. Por isso, é fundamental trabalhar as bases dos cursos universitários e explorar o ato de empreender, que é tanto uma questão comportamental do perfil da pessoa quanto técnica.
Precisamos conectar as pessoas de qualidade com as entidades de qualidade. Mais além, temos de oferecer projetos que promovam a capacitação e gerem valor para o jovem por meio de conhecimentos técnicos e diferenciais de mercado.
Como superar os conflitos entre as gerações dentro de uma organização?
Existe a questão cultural, a qual acredita que o jovem não está preparado ou não é maduro o suficiente para trabalhar ou empreender. No entanto, o que percebemos é que eles assumem esse risco, enfrentam e têm capacidade de atuar no ambiente tradicional com plataformas digitais.
As empresas precisam enxergar a importância que os jovens têm dentro de suas áreas de inovação. Trata-se de uma questão de adaptações e implementações de melhorias para que todos entendam essa nova dinâmica de mercado e passem a gerar valor para esse profissional.
Nesse contexto, é importante lembrar que esse jovem busca multidesafios dentro das atividades que exerce, algo que o leve para algum lugar além da empresa em que ele trabalha e lhe traga realização pessoal.
De que maneira as atividades da Conaje estimulam o empreendedorismo jovem? 
Dentro da base das escolas, não temos o desenvolvimento do empreendedorismo para que os jovens se sintam capazes de atuar no mercado. A Conaje, como entidade, busca trabalhar um pouco essa questão e estimula projetos voltados para o desenvolvimento desse segmento.
Quando um jovem monta uma empresa, ele oferece serviços para as pessoas, gera emprego e receita, ou seja, possui os fatores fundamentais para fazer a economia girar. Acreditamos que o trabalho desenvolvido pela Conaje é importante para transformar o Brasil e contribuir para a mudança do mundo inteiro. Temos a certeza de que empreender gera valor e, por isso, estimulamos melhorias na economia e na vida das pessoas.
Clique aqui e faça download gratuito do e-book “Os desafios do jovem na gestão”.

Associados Convenentes